Atendimento: 3302-6650 | 99254-3035

Dr. Giuseppe #NaMídia

Pequenos escapes de urina têm causas variadas e podem comprometer qualidade de vida de pacientes, alerta urologista 

Problema que afeta, em média, 5% dos homens que tratam o câncer de próstata e até 35% das mulheres no climatério, a incontinência urinária pode evoluir em vários níveis. Um deles, são os pequenos escapes de urina, que acabam ocorrendo durante a tosse, um simples espirro ou esforço físico. As causas são variadas e vão desde infecções urinárias, até o enfraquecimento dos músculos pélvicos e sequelas de algumas cirurgias, explica o presidente da seccional amazonense da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cirurgião uro-oncologista Giuseppe Figliuolo.

De acordo com o médico, que atua na Urocentro Manaus, fazem parte da lista de fatores que podem causar os escapes de urina a constipação intestinal, fraqueza nos músculos pélvicos, obstrução da uretra em decorrência do aumento da próstata, lesões na coluna e efeito colateral de medicamentos.

O cirurgião , que é doutor em saúde pública, explica que os pequenos escapes involuntários de urina também são considerados quadros de incontinência urinária e podem comprometer a qualidade de vida do indivíduo.

“Há pessoas que usam absorventes para os escapes, sem saber que, em alguns casos, o problema pode ser tratado com medicação e fisioterapia, por exemplo. Mas, em quadros mais extremos, pode haver a indicação de tratamento cirúrgico para alguma eventual correção. Sem o tratamento adequado, e com a falta de informação, muitas pessoas acabam por ter a qualidade de vida comprometida, já que a tendência é que haja um maior isolamento social. Quadros de depressão também podem derivar da incontinência urinária”, destaca Figliuolo.

De acordo com ele, a maior parte das pessoas afetadas pela incontinência é de mulheres. “Quase 85% dos pacientes com incontinência são mulheres. No caso delas, a principal causa é o enfraquecimento dos músculos que controlam a bexiga. O problema acaba sendo muito comum. É importante lembrar que, uma análise mais aprofundada de cada caso, por um urologista, possibilita alcançar um tratamento resolutivo ou que amenize o problema. O importante é não negligenciar”, explica o especialista.

Sinais

O escape involuntário de urina apresenta diversos sinais que variam em intensidade. Entre eles estão a perda de controle ao tossir, espirrar ou realizar esforços físicos, urgência frequente em urinar e gotejamento após o xixi.

“A necessidade constante de ir ao banheiro e a presença de infecções urinárias recorrentes também acendem o sinal de alerta. É crucial buscar a orientação de um profissional de saúde para avaliação e tratamento adequados”, disse Giuseppe Figliuolo.

Compartilhe:

#Artigo

Câncer de pênis: identificar e tratar lesões na fase inicial podem evitar amputações pela doença

#Artigo

Higienizar o pênis da forma adequada pode evitar o câncer e salvar vidas; FCecon registra casos avançados da doença

#Artigo

SBU lança campanha de combate ao câncer de pênis; doença acometeu 21,7 mil homens em 10 anos

#Artigo

Cirurgia segura envolve a escolha correta da anestesia e rigor ao seguir os cuidados pré-operatórios

#Artigo

Cirurgias têm chances de sucesso potencializadas quando orientações pós-operatórias são seguidas rigorosamente

#Artigo

”Em meio aos desafios da modernidade, priorizar os hábitos saudáveis e o bem-estar nunca foi tão importante”

#Artigo

Pequenos escapes de urina tem causas variadas e podem comprometer qualidade de vida dos pacientes

#Artigo

Novembro Azul chega ao fim com uma chamada à ação permanente pela saúde masculina 

#Artigo

Na FCecon, pesquisa inédita avaliará evolução do câncer de próstata

#Artigo

Apesar de altamente tratável na fase precoce, câncer de próstata ainda mata um homem a cada 40 minutos no Brasil

Saúde do Homem:

Além da prevenção contra o câncer de próstata

PRÉ AGENDAMENTOS

Sua saúde em primeiro lugar